Todos os posts de fmazzei12

Jornalista de São Paulo que sabe a diferença entre um Manolo Blahnik e um Louboutin, entre uma Cristal e uma Cliquot, entre um Maserati e um Bugatti (e não estamos falando de marca de macarrão, rs), entre um Château Lafitte e um château Duvalier...

BMW traz modelos top movidos a diesel ao Brasil

Demorou, mas chegou. Os primeiros BMW a diesel começam a desembarcar por aqui neste primeiro trimestre de 2015. Os modelos escolhidos são da família X5, o X-Drive 30d e o M50d, topos de linha, com preços entre R$ 379.950,00 e R$ 474.950,00, respectivamente.
O motor, que é o que importa, é um triturbo de seis cilindros. E como um propulsor deste tamanho consegue ser menos agressivo ao meio ambiente? Resposta: eficiência.
O equipamento foi desenvolvido com o sistema BluePerformance, que maximiza a resposta do motor em uma série de indicadores. No modelo 30d, por exemplo, são gerados 258hp de potência, mas o carro só precisa de 6,2 litros de diesel para percorrer 100km. E suas emissões de CO2 ficam na casa dos 160g/km. No caso do 50d, de 381 cavalos, o consumo para o mesmo trecho fica em 6,7 litros, com 167g de CO2 a cada 1.000m rodados, segundo a montadora. Só para se ter uma ideia, um Renault Sandero, 1.0L a gasolina joga no ar 100g/km. E a diferença de categoria é gritante.
Para saber, estes três turbos funcionam separadamente, Dois menores trabalham apenas em baixas rotações. Já o maior deles é acionado quando o motorista resolve testar o limite de velocidade – travado em 250km/h.

Sobre os itens onboard, este novos membros da família X5 mantém a tradição de conforto. O sistema de som é da Bang & Olufsen, entretenimento completo garantido para os passageiros dos bancos traseiros. Há memória para as configurações dos bancos, que também são aquecidos. E o teto solar panorâmico, na versão M,  proporciona viagens ainda mais agradáveis.
Modelos a diesel de luxo não são uma novidade para europeus e americanos. Por aqui, começamos só agora a experimentar o gostinho de termos como opção carros eficientes, menos poluentes e altamente sofisticados. A quem interessa este atraso? Quem fatura mais vendendo gasolina cara ao invés de diesel barato? Fácil de responder.

Experiência com tartarugas no Iberostar Bahia

A experiência acontece entre os meses de dezembro a fevereiro, quando a atividade destes animais marinhos na faixa de areia se intensifica. Com monitoramento de biólogos do projeto TAMAR, os clientes do hotel participam da soltura dos filhotes na linha d’água.
Em outra atividade, é possível visitar o Núcleo de Monitoramento de Tartarugas Marinhas (NMTM), um espaço educativo onde estão expostas réplicas dos animais.

Soltura dos filhotes de tartaruga no Iberostar Bahia, Praia do Forte: atração para os hóspedes
Soltura dos filhotes de tartaruga no Iberostar Bahia, Praia do Forte: atração para os hóspedes

O grupo hoteleiro trabalha em conjunto com o Tamar e tem compromisso firmado legalmente para colaborar direta ou indiretamente na preservação da faixa de praia que ocupa, com 14km de extensão, na Praia do Forte.
O Iberostar Bahia é um cinco estrelas tradicional das praias da Bahia, inaugurado em 2006. O hotel pertence ao Grupo Iberostar, cuja rede no País ainda contempla o Iberostar Grand Amazon e o Iberostar Praia do Forte.

www.tamar.org.br
www.iberostar.com/bahia

kiehl’s faz bonito com a natureza

Você conhece alguma marca de cosméticos que tenha ganhado um dia oficial só para ela em Nova York? Sim, conhece sim. A Kiehl’s. Famosa no mundo inteiro, ela foi homenageada pelo prefeito da cidade, Michael Bloomberg, em 2003, que dedicou todo o dia 12 de novembro como o “Dia da Kiehl’s”.

Por que o privilégio? Bem, foi nesta data que a herdeira da marca, Jami Morse, replantou na frente da primeira loja da companhia, no East Village, uma pé de pereira. A árvore se tornou símbolo da ligação da Kiehl’s e o compromisso da cidade com o meio-ambiente. E Bloomberg resolveu devolver o presente criando a tal data.

O episódio reflete o quanto a Kiehl’s tem se esforçado no intuito de preservar a natureza e promover uma vida mais agradável às pessoas – sendo elas suas clientes ou não.

São muitas as ações que denotam esta filosofia. Nos anos 1990, a Kiehl’s passou a colaborar com a pesquisa da vacina e dos tratamentos contra a AIDS. Este ano, ela reverteu 100% da renda com as vendas do creme Midnight Recovery Concentrate para a ONG Keep a Child Alive, de apoio a criança e a família atingidos pelo HIV, e cuja patrona é a cantora Alicia Keys.

 

Loja da marca em Nova York: compromisso com o verde da cidade
Loja da marca em Nova York: compromisso com o verde da cidade

Meio Ambiente

Outras ações visam a preservação ambiental. Com muita pesquisa, os técnicos da empresa desenvolveram em 2008 o primeiro creme para o corpo totalmente biodegradável. Esta iniciativa contou com a parceria do ator Brad Pitt e visava financiar a empresa JPF, uma incentivadora ambiental.

Uma outra frente sustentável foi aberta na Amazônia. Com a participação de duas mil mulheres, a Cooperativa Targanine faz a coleta de óleo de argan, usado na composição de produtos Kiehl’s. A um só tempo, estas mulheres ganharam emprego, renda e uma nova função: a de defensoras da floresta de onde retiram o seu sustento.

Linha de produtos sustentáveis da Kiehl's
Linha de produtos sustentáveis da Kiehl’s: parcerias com ONGs e celebridades

Com um papel intenso neste setor, a Kiehl’s mostra que cultivar a beleza usando produtos sustentáveis faz toda a diferença. Afinal, não é só o seu corpo e o seu cabelo que precisam de hidratação e cuidados diários.

www.kiehls.com.br

@kiehlsbrasil

Novo Audi TT: 11% menos poluente

Mais leve, mais potente e menos poluente. Os engenheiros alemães da Audi trabalharam bem nesta nova versão 2015 do esportivo compacto TT e fizeram do bólido ainda mais interessante.

Começa que ele perdeu 50kg em relação ao modelo anterior, graças a combinação de materiais e o uso de novos compostos. Além disso, o novo shape o ajudou a ser 14% mais potente. Por fim, a marca chegou a impressionante redução de 11% na emissão de gases nocivos a natureza – CO2, metano, óxido nitroso, entre outros. No longo prazo, serão 5,5 toneladas de gases a menos na atmosfera, durante o ciclo de 10 anos de vida do carro, estipulado pela montadora.

Audi.com.br

 

Híbrido da Lexus ganha prêmio nos EUA

O modelo CT200h, que combina motor 1.8 litros e um propulsor elétrico, ganhou prêmio da Northwest Automotive Press Association (NWAPA) como o preferido entre os veículos elétricos no mercado americano.

Design elegante e motor elétrico eficiente foram os pontos em destaque no projeto. Em termos de performance, o CT 200h gera potência de 136hp e faz 19km/l na cidade. O modelo 2014 foi renovado com grades cromadas, farois e luzes diurnas em LED, novas rodas 16’. Preço no Brasil: R$ 134 mil no modelo ECO, de entrada.

Lexus.com

Lexus CT 200h vence prêmio nos EUA como o melhor híbrido
Lexus CT 200h vence prêmio nos EUA como o melhor híbrido

Bulgari Hotel faz piquenique de bike no Hyde Park

O Bulgari Hotel de Londres tem um pacote de verão – para hóspedes e não-hóspedes – que sintetiza o que o consumidor do novo luxo quer: experiências sofisticadas por sua essência. Um piquenique em pleno Hyde Park, por exemplo, por si só já seria um programa low profile e chique. Agora, fazê-lo de bicicleta dá o caráter eco que todos nós necessitamos.

São bikes desenvolvidas pela Momo Design, de Milão. Por uma taxa em torno de US$ 100, pratos de entrada, saladas, principais, bebidas e sobremesa, tudo preparado pelo staff do chef Alain Ducasse. Ah, e o aluguel da bicicleta está incluso. Vale a dica.

Bulgarihotels.com

Piquenique no Hyde Park: menu de chef e bikes de hotel cinco estrelas
Piquenique no Hyde Park: menu de chef e bikes de hotel cinco estrelas

Ar limpo em alto-mar

Sabe aquela cena de filme, quando o navio está de partida e o comandante aciona o apito (“todos a bordo!”) e a chaminé dá uma baforada antes de zarpar? Pois é, essa cena está com os dias contados. Ao menos para os clientes da NCL, a Norwegian Cruise Line. A empresa de cruzeiros transatlânticos acaba de colocar em operação um novo sistema de purificação dos gases do escape. Batizado de Green Tech Marine (GTM), o sistema foi desenvolvido pela empresa norueguesa e mesmo nome e faz a depuração do gás expelido pelas chaminés, bem como atua como silenciado do ruído. Nesta primeira fase de adaptação, seis dos navios da frota da companhia receberam a melhoria. Ate 2016, a meta é instalar 28 GTMs em todos os navios da Norwegian.

Chaminés sob controle na Norweggian

 

Fusion Hybrid: a diferença

Há motivos emocionais na compra de um carro, sem dúvida. E quando falamos em carrões de luxo, sedãs portentosos, por exemplo, o quesito status, símbolo de sucesso profissional, é decisivo na hora da compra. Quem conhece o Ford Fusion, recentemente remodelado, sabe que este é um destes carros. Imponente, elegante, linhas sóbrias, perfomance adequada, não à toa é um dos modelos preferidos dos executivos norte-americanos. Mas, por que não adicionarmos um elemento mais racional nesta aquisição?

O Fusion Hybrid, já à venda no Brasil, é a razão sobre a emoção. Sem que uma coisa atrapalhe a outra. Temos o mesmo sedã luxuoso só que, por debaixo do capô, uma combinação de motores à combustão e elétrico que geram 190 hp. Econômico, chega a fazer 17km/l na cidade e dois a menos na estrada, segundo a Ford. O motor elétrico pode chegar aos 100km/h e uma série de sistemas eletrônicos, capazes de controlar a condução do veículo, permite que se faça da busca pela economia uma tarefa automática e sem limitações de prazer ao dirigir. E ele nem precisa ser ligado na tomada para recarga das baterias. Isso acontece com o carro em movimento, através da recuperação de energia nas frenagens – o tal freio regenerativo. Bom, e o resultado de tudo isso? Menos emissão de CO2 na atmosfera.

Então você pensa: por que não escolher um modelo que além de representar o meu status pessoal, vai refletir minha consciência sobre o que podemos fazer pelo planeta, pelas cidades, pela vida?

Pense nisso.

Venda de carros elétricos em alta nos EUA

Na terra dos carros beberrões de gasolina – Buicks, Cadillacs e afins –, os carros elétricos vem ganhando espaço sem fazer alarde. Nem barulho.

Apenas no primeiro semestre deste ano 54 mil carros novos foram vendidos no país, ante 41 mil unidades em 2013. Somente entre maio e junho foram 24 mil novos emplacamentos, quase o dobro do mesmo período do ano anterior (16 mil). Os dados são do site insideevs.com.

A previsão dos analistas é que a coisa melhore ainda mais nos últimos seis meses do ano. Isso porque cerca de 60% das vendas de veículos nos Estados Unidos costuma acontecer no segundo semestre.

Quem lidera o ranking dos mais vendidos é o Nissan Leaf, com 12,7 mil unidades comercializadas. Em seguida, o Toyota Prius com 9,3 mil, o GM Volt, 8,6 mil, e o modelo S da fabricante Tesla, com 7,4 mil esportivos vendidos (veja galeria).

Com esta performance, alta de 33% nas vendas ano após ano, a expectativa é que a frota de Evs nos EUA chegue a 500 mil carros até 2020.

BMW i3

Enquanto isso, no Velho Mundo, onde a tradição por veículos alternativos é maior (a Renault lançou o primeiro elétrico de fábrica durante a Segunda Guerra Mundial), a grande expectativa girou em torno de um pequeno e bravo alemão.

Lançado em 2013, o BMW i3 passou a ser vendido apenas este ano e foi bem no primeiro trimestre, com 2,2 mil carrinhos vendidos em todo o mundo, exceto nos EUA. Os três meses seguintes, porém, não confirmaram a mesma empolgação. No exterior, o i3 custa cerca de US$ 41 mil. No Brasil, a previsão é que o carro chegue às lojas da marca a partir de agosto. O preço? Em torno de R$ 150 mil.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nextant Aerospace, jatos “remanufaturados”

Nextant Aerospace, fabricantes de jatos executivos com sede em Cleveland, Ohio (EUA), está prestes a fazer um novo lançamento. Ainda neste ano, entregará ao mercado os primeiros modelos do avião G90XT, que pretende repetir o sucesso comercial do primeiro produto da companhia, o jato 400XTI. O que faz ambos serem tão especiais? Eles são aeronaves “reciclados”, reconstruídos através de um processo de remodelação de aviões usados antigos.

O termo exato, como explica Sean McGeough, presidente e CEO da Nextant, é remanufaturado. Os aviões são completamente reestruturados em todos os setores: motor, cabine, cockpit, tecnologia, num total de mais de 20 itens aviônicos.

O 400 XTI, por exemplo, lançado oficialmente em 2013, usa como base os jatos Beechjet 400 e o Hawker 400. O motor é a nova versão do Williams FJ44 3AP e a cabine de comando usa o sistema Rockwell Collins Pro Line 21. A mesma integração de tecnologia de última geração com um flight deck remodelado acontecerá no novo G90XT, que parte de um KingAir C90 aliado ao motor GE H75 turbo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Nextant Aerospace foi fundada em 2007 pelo empresário ken Ricci e é pioneira no segmento de jatos remanufaturados. Com o lema “Reimagine, Rebuild, Reborn”, a meta da companhia é oferecer aeronaves com performance superior ao modelo original, com cabines mais silenciosas e confortáveis, a um preço 50% menor do que os concorrentes da mesma categoria. Além disso, o descarte de materiais é 20% menor se comparado com os fabricantes de jatos novos, bem como a redução da emissão de carbono no processo todo. Por tudo isso, em julho deste ano, a empresa passou a integrar o Remanufacturing Industries Council (RCI).